terça-feira, 25 de novembro de 2008

Águas de Novembro

A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou, no fim da manhã de hoje, um total de 69 mortes em conseqüência das chuvas que atingem o Estado
Subiu para 52.388 o total de desalojados por conta das chuvas e deste total, 22.776 estão desabrigados (sem lugar para ficar e alocados em abrigos públicos) e 29.612 desalojados (hospedados em casas de conhecidos). Mais de 1,5 milhão de moradores foram afetados pelas chuvas.
Não dá para a gente ficar alheio a estes acontecimentos e uma pergunta sempre se faz presente:Por quê?Por que certas coisas acontecem em determinadas regiões de vez em quando?Já repararam que as catátrofes ,sejam por fogo,queda de avião,tsuname,furacões,abalos sísmicos e enchentes,vão sempre mudando de lugar?E em qualquer parte do mundo?
Moro em Petrópolis e já vivemos aqui uma grande enchente com queda de barreiras e muitos desabrigados.A partir daí foram construidas barragens nas encostas,mas mesmo assim ,quando as chuvas começam ,bate a insegurança.
Ontem,ao assistir as cenas das destruições em Florianópolis ,revivi o acontecido aqui na minha cidade e me lembrei que naquela época eu ficava com a da música de João Gilberto na minha cabeça:Águas de Março...só que elas tinham vindo em janeiro e agora no sul foi em Novembro:

(um trecho da música que descreve as Águas de Março,de Janeiro ou de Novembro)

"É pau, é pedra, é o fim do caminho /É um resto de toco, é um pouco sozinho /É um caco de vidro, é a vida, é o sol /É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol /É peroba do campo, é o nó da madeira Caingá, candeia, é o Matita Pereira /É madeira de vento, /tombo da ribanceira/ É o mistério profundo,/ é o queira ou não queira /É o fundo do poço, /é o fim do caminho/ No rosto o desgosto,/ é um pouco sozinho/É um estrepe, /é um prego, /é uma ponta, /é um ponto /Um pingo pingando, uma conta um conto Um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando É a garrafa de cana,/ o estilhaço na estrada /O projeto da casa,/ é o corpo na cama /É o carro enguiçado, é a lama, é a lama.........são as águas de março fechando o verão/é a promessa de vida no meu coração.

11 comentários:

Giselle disse...

Paulo,
meu querido, imagine, quando tiver tempo poste os selinhos traqnuilo ...
Agora qto essa catástrofe, lamentável, acho que nós brasileiros deverísmos nos mobilizar para ajudar um pouco esse povo que perdeu casa, parentes, tudo quse à vespera do Natal.
Deveráimso mandar o pouco que temos, já fará uma grande diferença para eles ...
Qdo vejo algo assim acontecendo morro de medo que isso possa nos atingir ...
Paulo, um grande beijo e linda semana para ti

Ocorrências cotidianas... disse...

essa diferença climática entre regioes hein...uns com tanto outros com tao pouco!!
tanta gente morre pela seca,e outras tanta pelas enchentes. Até qdo o homem vai contribuir com essa matança do planeta??
...

[ rod ] disse...

Tudo isto é fruto da inconsequência coletiva e da devolução da natureza ao "sábio" homem, mas ainda é possível se precaver e não deixar o caos tomar de conta.

Vi no G1 foto de saques a supermecados... desolação total.

Abçs meu caro,




Novo Dogma:
roMance...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Quase Trinta disse...

Paulo, também me lembrei das chuvas que destruiram Petrópolis e da minha agonia naquela época, pois tenho em Petrópolis minha segunda casa.
É lamentável a falta de infra estrutura das cidades, que vão crescendo, sem planejamento, e quando chove, calamidades como essas acontecem.

Aline Evelyn disse...

É Paulo...
a cada dia que passa, as catástrofes aumentam!
E as esperanças da humanidade?
Acho que vão descendo junto com a enxurrada!
Complicado? Triste?
Cada um tira suas próprias conclusões!
Sei que... quando num é Sol d+ em alguns pontos do país...
É chuva d+.
Difícil entender!
=D
tava com saudades do teu blog meu lindo
Beijooos

angel red disse...

Estou mt assustada com essas chuvas no sul. Tenho amigos e boa parte de minha família nos lugares mais afetados. Minha mãe está em desepero querendo notícias. A natureza qnd se revolta sempre é trágico. Agora temos que tentar nos mobilizar para enviar o mínimo necessário para eles recomeçarem.

Bjoks

Nunca é tarde para ser feliz! disse...

Pois é, os noticiários tem mostrado uma realidade dura em santa Catarina. Nunca passei por isso, como você, mas acredito que situações como essa trazem um medo muito grande mesmo, porque não há como fugir...

Dedinhos Nervosos disse...

Ontem, logo após ver tanta desgraçada na TV, um jornalista foi a praia pra entrevistar quem estava aproveitando o sol que saiu. 2 mulheres de uns 20 anos estava felizes pq "estavam de férias e ninguém merece ficar em casa com chuva". Camba, o mundo se acabando em água e as meninas pensando no bronze. Meu deu uma raiva. Profundas como uma folha de papel.
Bjos.

Vanna disse...

É querido, e o pior é q em alguns casos isso pode ser evitado. Aqui no Rio o povo da baixada vire e mexe perde "tudo" o q tem e engraçado q muitos passam por isso mais d uma vez. Tomara sejam tomadas providências p/ q isso deixe d acontecer.
Bjs, lindo fim d semana.

Lê... disse...

É querido,bons tempos em que as aguas de março fechavam o verão e traziam SÓ promessas de vida...hj em dia elas anunciam,tbm,tragédias...
Muito triste isso tudo que vem acontecendo!

beijo,bom fds.

Débora disse...

Olá,Winter

Não.,.não voltei a escrever no Blog "Start",ainda!!Mas,voltei a comnetar nos dos amigos.
As chuvas têm mesmo castigado aquela região tão linda...aqui em São Paulo tb tem chovido muito!!Dá meedo!
Só uma correçãozinha:ÀGUAS DE MARÇO é de Tom Jobim e não de João Gilberto...Ele até cantava com a Elis,lembra?Mas,isso não desmerece seu lindo post.

beijos